TREMOR IÊ Inédito no RJ Selecionado PREMIADO


Quando Janaína consegue fugir, Cássia, à espreita, recebe de volta a amiga desaparecida desde uma manifestação popular de 2013. Mãos incansáveis costuram a corda que trança a fuga e trazem o eco dos tambores de volta.
Direção: Elena Meirelles e Lívia de Paiva
Duração: 89min
UF/Ano: CE/2019
Classificação Indicativa: 14 anos
Equipe: Roteiro: Deyse Mara, Elena Meirelles, Lila M Salú, Lívia de Paiva e Petrus de Bairros. Direção: Elena Meirelles, Lívia de Paiva. Produção Executiva e Produção: Ticiana Augusto Lima. 1a Ass. de Produção Executiva: Luciana Vieira. 2a Ass. de Produção Executiva: Tatiana Nascimento. Direção de Produção: Polly Di e Taís Augusto. Fotografia: Raoni Shaira, Lívia de Paiva. Som Direto: Jorge Polo. Figurino: Paulo Victor Soares e Dila Customizações. Direção de Arte: Pedro Lessa. Montagem: Lincoln Péricles, Elena Meirelles e Lívia de Paiva. Desenho e Edição de Som: Vivi Rocha. Ass. de Edição de Som: Pedro Sá. Edição e Mixagem de som: Lucas Coelho. Colorista: Guto Parente. Trilha Sonora Original. Produção de gravação: Bebel Coelho. Direção de gravação: Vivi Rocha. Direção Musical: Flávia Soledade. Arranjos: Flávia Soledade, Ricardo Pereira dos Santos. Composição: Lila M. Salú. Voz: Lila M. Salú, Micinete Lima, Auri D’Yruá. Mixagem da Trilha Sonora: Guilherme.
Elenco: Deyse Mara, Lila M Salú, Micinete Lima, Flávia Soledade, Taís Rocha, Ivna Lundgren, Jéssica Pereira, Marília Queiróz, Leane Souza, Amanda de Oliveira, Vitória Sena, Sarah Nobre, Matheus William, Petrus de Bairros, Paula Haesney, Guto Parente, Rodrigo Fernandes e Getúlio Abelha
Contato: Tardo Filmes - tremoriefilme@gmail.com

Texto Premiação


"Quando o real só pode ser expresso por um cenário surreal. Por sua capacidade de construir, com poucos recursos, uma narrativa potente que retrata um Brasil distópico, de um futuro não tão distante. Por se utilizar do artifício da atemporalidade e de uma misé-en-scène antinaturalista e, assim, fazer emergir na tela o absurdo do atual. Por conjugar uma força disruptiva na micropolítica dos afetos por meio de um devir feminino (em potencial em cada um de nós). Ao mostrar que a escuta para alteridade e a visibilidade de outros corpos não normativos pode ser tão política quanto o grito. Por ensaiar a revolução silenciosa, de matilha, não centrada em um herói único. Por retratar a força das tradições e da espiritualidade de matriz africana no país. E por fim, pela busca de uma produção coletiva, que traz para o protagonismo a inventividade das mulheres, que se vêem tão pouco representadas nos cargos de direção em grandes produções cinematográficas, as editoras/críticas/juradas da Revista Beira escolhem destacar o longa Tremor Iê, dirigido por Elena Meirelles e Lívia de Paiva como vencedor da sessão Longa Livre da 18a Mostra do Filme Livre!"

PROGRAMAÇÃO


(informações fornecidas pelos filmes no ato da inscrição online)