ACESSE A MOSTRA DO FILME LIVRE 2015

MFL 2014

A 13ª Mostra do Filme Livre, MFL, acontecerá de 12 de março a 8 de junho no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro, Brasília (abril) e São Paulo (maio).

Com patrocínio do Banco do Brasil e do Ministério  da Cultura, a mostra, que é realizada desde 2002, recebeu 1060 inscrições de filmes. Destes, 198 foram selecionados pela curadoria, formada por Marcelo Ikeda, Chico Serra, Christian Caselli, Gabriel Sanna, Manu Sobral, Dácio Pinheiro, Carlos Eduardo Magalhães e Guilherme Whitaker, também idealizador do evento.

A mostra apresenta centenas de filmes nacionais de todos os formatos, gêneros e durações, a maioria feita sem apoio estatal. Também rolarão oficinas de vídeo, debates e sessões comentadas.

A cineasta Ana Carolina será homenageada com a exibição de seus longas e participará de debates nas três cidades

Além dos filmes selecionados a programação contará ainda com obras convidadas, compondo um panorama do que há de mais ousado na produção audiovisual independente nacional. Com exibições gratuitas, os organizadores calculam atrair cerca de 10 mil pessoas, nas sessões, debates e ações nos CCBBs e pelas parcerias  com os cineclubes.  

Criada e organizada por Guilherme Whitaker a MFL exibe longas, médias e curtas, sempre destacando filmes  que fujam do lugar comum narrativo, estético e/ou em seus modelos de produção. “Cada vez mais pessoas  fazem mais filmes por todo o Brasil. Tal produção muitas vezes enfrenta dificuldades para chegar ao grande público e a MFL busca chamar atenção para estes filmes e seus realizadores, que muitas vezes fazem seus filmes sem nenhum tipo de apoio público” diz Whitaker.

A cada ano a MFL homenageia um grande nome do nosso cinema alternativo. Já foram homenageados na MFL cineastas como Luiz Rosemberg Filho, Andrea Tonacci, Eliseu Visconti, Helena Ignez, José Sette, Joel Pizzini, Sergio Ricardo, Edgard Navarro, Carlos Alberto Prates entre outros. Em 2014 a homenagem será à cineasta Ana Carolina, com a exibição de seus seis longas e debates nas três cidades sede. O evento também fará sessões em homenagem  ao ator Fernando Silva, um dos criadores do Cinema de Guerrilha da Baixada (RJ), falecido em 2013 e ao  cineasta Marcos Medeiros, morto em 1997. E também será feita uma sessão/debate em homenagem ao documentarista Eduardo Coutinho, tragicamente morto recentemente.

Em sua mostra regular a MFL repete a fórmula dos “Panoramas Livres”, “Outro Olhar”, “Longas Livres” e diversas sessões especiais, como a “Mostrinha Livre” para a criançada, “Mundo Livre” (com filmes feitos por  brasileiros no exterior), “Pílulas” (com filmes de até cinco minutos) e “Coisas Nossas” (com filmes feitos pela curadoria e equipe da MFL).

 

Este ano a MFL também fará as seguintes sessões especiais:

“Mostra Peruana”, com dois filmes peruanos e presença do organizador do Festival Lima Independente que vai comentar as sessões.

Estreia mundial do filme “Orlando, ou O Impulso de Acompanhar Pássaros até o Fim do Mundo!”, de Alexandre Rudáh.

“sessão SUMA”, com curtas cariocas feitos coletivamente.

Sessão Cavídeo, com a exibição do longa “Cidade de Deus – 10 anos depois” seguida de debate com os diretores e lançamento de livros.

Curta Criativo, com os 9 curtas inéditos premiados na edição 2013 do Curta Criativo – FIRJAN.

Sessão comentada do raro longa “O santo e a vedete”, de Luiz Rosemberg Filho, comédia erótica censurada, será exibida em versão restaurada em DVD. Música de Jards Macalé. Com Wilson Grey, Nelson Dantas e Grande elenco.

Sessão comentada do novo longa de Ricardo Miranda, “Paixão e virtude”.

Sessão com os 2 últimos filmes de Helena Ignez: “Poder dos afetos” e “Feio, eu?”.

Sessão com os 2 novos filmes do cineasta Fábio Carvalho (MG): “Jimi Hendrix e a fonoaudióloga” e “ O tempo do corte”.

Sessão especial em homenagem ao ator Fernando Silva (1979/2013), idealizador do Cinema Guerrilha da Baixada (RJ), com a exibição comentada de vários curtas.

Sessão do raro filme “Hypotenuza: a Rainha do Catete” (1970, 60min.), de Marcos Medeiros (1946/1997), comentada pelo curador Vicente Duque Estrada.

Sessão Curta Rio – com curtas feitos no Rio de Janeiro, muitos inéditos.

Lançamento mundial do longa “MEMÓRIA TANGERINA / MULHERES LEGENDADAS” , de Dodô Azevedo.

TRASH - 7 sessões com curtas e longas, inclusive o inédito no RJ, “Mar Negro”, de Rodrigo Aragão com debate no M.A.R (Museu de Arte do Rio).

Oficina de vídeo com Rodrigo Aragão no M.A.R (Museu de Arte do Rio).

 

Premiação MFL

A MFL talvez seja a única mostra brasileira onde a própria curadoria, que assiste a todos os filmes inscritos, além de fazer a seleção de filmes do evento, define também quais filmes se destacaram para serem premiados com o troféu Filme Livre! Os realizadores dos filmes premiados são convidados a virem à mostra carioca para receberem o troféu e conversarem com o público após a sessão do filme. Os premiados deste ano (2 longas e 7 curtas) serão divulgados até o início da mostra.

 

Debates Livres

No RJ estão previstos os seguintes debates:

Ana Carolina: Após a sessão do filme “das tripas coração”, sábado, 15-03 às 18h no cinema 1 do CCBB;

Acesso Audiovisual - Um direito de Todos: Construído em conjunto pela sociedade civil mobilizada (movimento cineclubista, ABDeC-RJ, pontos de cultura, profissionais de formação e animação)

e a Comissão de Cultura da ALERJ, o PL de Acesso Audiovisual já despertou interesse além das fronteiras fluminenses. Apresentado no Encontro de Cineclubes do NE, em 2013, foi recomendado para todos os estados daquela região, além do interesse na sua nacionalização, o que vai ao encontro do PL 7.507, de Cristovam Buarque, que estabelece diretrizes e bases para que a produção nacional seja exibida nas escolas. Debater para aprimorar e andar com o nosso PL RJ é necessário.

Ser ou não ser TRASH? Após a sessão do longa MAR MORTO, com o diretor do filme, Rodrigo Aragão e o curador Christian Caselli. No Museu de Arte do Rio, MAR.

 

Mais destaques desta edição (RJ)

CABINE LIVRE - cabine livre 2013 será no CCJF, na Cinelândia, com a exibição de videoartes em loop, das 14h às 19h.

CIRCUITO DE CINECLUBES - Novamente a MFL faz parcerias com diversos cineclubes de todo o Brasil, que farão sessões com filmes livres. Confira a programação completa no site da MFL. INSCRIÇÕES de 5 a 25 de fevereiro.

 


Em busca de mais e melhores espaços!

Câmeras mil, ideias aos milhares...

Mais uma vez a MFL se apresenta a fim de chamar a atenção para questões de variados cunhos do estético ao comercial, do narrativo ao político. Por isso, ela nasceu e segue viva enquanto mostra de filmes soltos, escolhidos por uma atentacuradoria que assiste a todos os trabalhos inscritos- foram 742 em 2013! - e discute sobre eles. Os curadores também têm a tarefa de destacar algumas obras com o troféu Filme Livre. Nesta edição, foram premiados sete curtas e um longa.

Desde o surgimento das MiniDVs e dos HDs, a graça vem sendo não ter, mas usar - e, em alguns casos, ser - várias câmeras. Elas aparecem não apenas nas mãos, mas por todo o corpo e/ou fora dele. Na cabeça, em vez de uma, várias ideias, deixando de lado o pensamento solitário e valorizando o que é plural.

Para o cinema de hoje, é fundamental ampliar a gama de telas pequenas e grandes, dando oportunidade a produções que queiram fugir do lugar-comum e lutar contra o mercado de entretenimento que, muitas vezes, valoriza o banal e omedíocre, pensando somente no lucro e contribuindo para a alienação popular, que tanto mal faz ao mundo. Por isso, é importante dar destaque aos filmes livres e garantir que tenham espaço maior e melhor, seja onde for.

Mas, já que falar não tem dado resultado nesse sentido, o jeito é gritar, seja usando a voz ou por meio de textos como este. Atualmente, o maisincrível e instigante do nosso audiovisua , que reúne curtas, médias e longas feitos por gente de todo o Brasil, não cabe nem quer estar nos cinemas de shopping ou canais de televisão que poucos veem ou sabem que existem. É preciso muito mais, a fim de melhorar a situação de quem vive de fazer ou exibir filmes brasileiros.

Como o escoamento via festivais não é suficiente para a exibição desse crescente e tão variado conteúdo, a internet tem sido o caminho inevitável para facilitar a comunicação de todos e permitir a conquista de lugares físicos que proporcionem, tanto em quantidade quanto em qualidade, espaços para o encontro e a celebração da vida audiovisual. Que essa rede não seja paliativa, mas durável e regular.

Seguindo essa linha de pensamento, a MFL tem sido um relevante espaço para tais questões reverberarem Brasil adentro. Prova disso é a quantidade de filmes inscritos e selecionados, vindos dos mais variados lugares, como você poderá conferir nas próximas páginas.

Guilherme Whitaker
Mostrando Filmes Livres

2013

 



FOTOS


topo

2002 - 2014 MFL ··· Mostra do Filme Livre ··· Desenvolvimento: Rivello/Menta ··· Produção: WSET Multimídia